CBF X FBA: Quem vai ficar com a Série B?

fba-x-cbfAté hoje, quem administrava a competição era a FBA (Futebol Brasil Associados), empresa presidida pelo ex-presidente do Santa Cruz, José Neves. A empresa era a responsável pelas negociações dos direitos de transmissão do campeonato com as emissoras de TV, bem como com patrocinadores da competição. Assim, cabia à empresa, também, o dever de distribuir as cotas entre os clubes participantes.

Agora, a CBF, após se reunir com os 20 clubes participantes da competição, decidiu assumir o controle de 100% do campeonato, já a partir desse ano. Com isso, o direito de negociar as transmissões e patrocínios, bem como o dever de distribuir as cotas, passaria à Confederação.

José Neves, atual presidente da FBA, porém, afirma que não foi comunicado da decisão e que tem contrato até 2010, inclusive com contratos fechados até lá. A decisão da CBF não pode contrariar direitos adquiridos, seja da FBA, seja dos patrocinadores que já garantiram seu lugar no evento.

Vamos esperar para ver se a mudança será mesmo confirmada, já que Zé Neves promete ir à justiça para garantir os direitos da FBA. Caso a mudança se confirme, devemos ficar na torcida para que a divisão das cotas permaneça justa. Seria revoltante se a CBF, após assumir a competição, aplicasse um sistema absurdamente desigual como acontece na Série A do Campeonato Brasileiro.

Anúncios

O Campeonato Pernambucano pode parar!

fpfA lei aprovada pelos deputados pernambucanos, que proibe a venda de bebidas alcoolicas dentro dos estádios, prevê uma multa de R$ 10 mil para os clubes e para a federação caso algum torcedor seja flagrado consumindo álcool.

Tanto a FPF, quanto os clubes, entendem que tal punição inviabilizaria a competição. O problema é que a FPF não tem como fiscalizar todos os estádios, nem tem poder de polícia para impedir o consumo, sendo assim, não poderia ser responsabilizada por tal.

Os clubes já têm uma responsabilidade maior, pois são os donos do estádio, mas têm medo que essa multa seja usada contra eles por adversários, principalmente políticos.

Em reunião extraordinária do Conselho Arbitral, o grupo decidiu pedir ao governador que vete o artigo referente à multa. Caso não sejam atendidos, ameaçam parar o campeonato estadual.

Concordo com a FPF, a federação não pode ser multada pelo consumo de bebidas dentro do estádio, pois, como já disse, não tem como fiscalizar isso. Os clubes, ao meu ver, só deveriam ser punidos se flagrados vendendo bebidas, mas não se um torcedor consegue entrar com uma garrafinha escondida. Quem deve ser punido é o torcedor que infrigiu a lei e não os organizadores da competição.

Vitória 1899, o novo nome do Vitória-BA.

escudo-do-vitoriaA mudança é uma estratégia de marketing do clube para valorizar sua história. A idéia deve ser lançada esse ano, quando o clube completa 110 anos. Se for aceita, a mudança do nome irá gerar uma gama de ações de marketing no clube.

Além do nome do clube, o estádio também deve ser renomeado, passando a chamar Arena 1899. Mas a mudança aqui também serve para facilitar a negociação dos “naming rights” do estádio.

A proposta é, no mínimo, ousada. Pode dar certo ou não, mas é bom ver os clubes arriscando em ações de marketing. Já passou da hora dos clubes pararem de reclamar da vida e explorarem a marca que têm.

Fonte: Máquina do Esporte.

O que ocorre com a Champs?

A fornecerdora de materiais esportivos, Champs, que patrocina diversos clubes brasileiros, dentre eles o Náutico e o Vasco, tem tido problemas com o fornecimento de materiais aos clubes. As lojas não têm as camisas oficiais e a empresa não vem atendendo aos pedidos dos lojistas.

Isso tudo é muito estranho, afinal, a empresa pagou caro aos clubes pelo direito de lhes fornecer o material, mas não vem cumprindo seu papel. No início do campeonato estadual, o goleiro do Náutico foi inclusive obrigado a atuar com a camisa antiga, da Wilson.

Os torcedores e dirigentes estão bastante insatisfeitos com a falta de camisas nas lojas. Mas, quem deve estar se sentindo mal mesmo com isso tudo é a própria Champs, que depois de pagar caro pelos clubes, não consegue tirar o retorno desse investimento, pois não coloca os materiais à venda.

Meio sem explicação isso, não acham?

Neymar e cia. O futuro do futebol

Estou impressionado com as recentes revelações do futebol brasileiro. Os novos valores surgem como uma grande esperança do “futebol-arte” brasileiro e uma esperança ainda maior para o departamento financeiro dos clubes. Cito três: Neymar, Keirrison e Ciro.

Keirrison já estava na mídia desde que subiu com o Coritiba para a Série A, mas desde então vem crescendo no conceito de todos. Ele se mostra um autêntico camisa nove e já desperta interesse de grandes clubes europeus. Em pouco tempo será titular de uma equipe importante do velho continente e vai render um bom dinheiro para o Palmeiras e seus parceiros.

Ciro, o “garoto dourado” do “ano de ouro” do Sport ainda é jovem, mas mostra qualidades importantes para um atacante, como velocidade, habilidade, raça e muito oportunismo. Ciro é a esperança da diretoria leonina de um bom lucro. O Sport, assim como outros pernambucanos, não tem uma boa receita com venda de jogadores, e isso precisa mudar. Daniel Paulista (R$ 2 milhões) foi só um aperitivo, Ciro (multa de R$ 40 milhões) deve ser o “prato principal”.

Neymar, multa de R$ 70 milhões. Elogiado por todos, o garoto de apenas 17 anos já é titular do Santos. O clube é famoso por revelar bons jogadores e lucrar com isso. Dificilmente ele permanecerá tanto quanto Robinho, mas pode ser vendido pelo mesmo preço, ou mais. Já tem muito “urubu” de olho no menino, a tarefa do Santos para mantê-lo no Brasil será muito árdua.

Os outros clubes que se inspirem nesses exemplos. O Brasil está cheio de craques, basta achar, contratar, treinar e principalmente, pôr para jogar (não é fácil, mas é possível). Um jovem craque só será um grande produto para o clubes se jogar, se for titular. Só assim os europeus, árabes, asiáticos, ou quem quer que tenha dinheiro, irá se interessar em pagar caro pelo atleta. Sentado no banco ninguém se valoriza.

Bota os meninos pra jogar!

Peço desculpas aos leitores, acredito que me expressei mal neste texto. Não sou a favor da transferência precoce dos atletas para o exterior, nem acho que os jogadores devam ser tratados como mercadoria. Mas, se a saída dos atletas é inevitável, que isso ao menos ajude os nossos clubes. E quem sabe no futuro teremos clubes mais fortes financeiramente e capazes de segurar os melhores atletas no país, algo quase impossível nos dias atuais.

***

Participe do Curso de Direito Desportivo, dias 06, 07, 13 e 14 de abril, das 18:30 às 21:30. A inscrição custa R$ 50,00. Faça já sua pré-inscrição no site da ESA. O programa está aqui.

Ronaldo de volta à Seleção? O que você acha?

Pois é, foi só Ronaldo fazer um gol, ou melhor, dois, para que muitos torcedores e comentaristas começassem a pedir a volta do fenômeno à Seleção Brasileira. Agora, depois de alguma polêmica, o atacante diz que quer fazer 30 gols pelo Corinthians para pedir a camisa 9 a Dunga.

Posso dar minha opinião? Sou fã de Ronaldo, por tudo que ele fez e pelo que ele tem mostrado nessa volta ao futebol. Mas, sinceramente, a Seleção não é lugar para jogadores em fim de carreira. E isso não se pode negar, ele está mesmo no fim da carreira, tentando encerrá-la com o máximo de dignidade.

Seleção Brasileira é lugar para os melhores atletas do país, independente da história, depende mesmo do desempenho nos clubes e da avaliação técnica. Mesmo que Ronaldo se destaque como o maior atacante do futebol brasileiro, é preciso lembrar que em 2006 ele já não era unanimidade nem tinha condição física para disputar a Copa do Mundo. Imaginem em 2010.

O Brasil revela milhares de jogadores, alguns são destaques no futebol europeu, não precisa se socorrer dos velhos craques, pode apostar nos novos “fenômenos”. Seleção é lugar de Pato, Keirrison, Kaká, gente que se destaca por estar jogando nos níveis mais altos de competitividade.

Na minha opinião, portanto, ele não deve sequer ser cogitado para o selecionado, deve se contentar em terminar a carreira com a fama de um grande jogador, deixando a seleção para os que podem render muito mais.

Aproveito para cobrar de Dunga a convocação de um jogador que se destaca dentro de um dos melhores clubes do mundo, o lateral-esquerdo Fabio Aurélio, do Liverpool. Sinceramente, não entendo a preferência por Kléber.

Rosembrick foi dispensado mais uma vez.

Infelizmente o Mago não vem conseguindo pôr sua carreira nos trilhos. O atleta foi dispensado do América de Natal por não ter comparecido ao treino sem explicação. Assim, Rosembrick acumula mais uma demissão na carreira.

Quem quer que esteja aconselhando o jogador nesse momento não faz um bom trabalho. Claro, o maior culpado é o próprio jogador que soma a irresponsabilidade à indisciplina e assim não consegue se firmar na profissão. Talento ele tem, mas só isso não basta para jogar futebol profissional, tem que ser, como o nome já diz, um verdadeiro profissional.

Melhor sorte da próxima vez então.

%d blogueiros gostam disto: