Resumo extracampo da semana.

Ingressos para Brasil x Paraguai:

O preço dos ingressos é um assunto a ser discutido, mas estamos falando de seleção brasileira, o que, por si só, já justificaria um alto valor. O problema, na verdade, é quanto aos ingressos de cadeira (R$ 250,00) e a polêmica na justiça envolvendo os proprietários de cadeiras no Arruda e a CBF. Alguns conseguiram na justiça o direito de pagar apenas o valor da arquibancada, como acontece nos jogos do Santa Cruz. Mas a confederação recorreu, alegando que, na verdade, o direito daqueles se restringe aos jogos organizados pelo clube, pois eles não são proprietários dos assentos, apenas arrendadores. Essa partida é organizada pela CBF, o estádio foi arrendado pela confederação. Por isso, na minha opinião, os proprietários não têm direito ao desconto. Um grande problema para a justiça, que não tem muito tempo para resolver isso até o dia do jogo.

Violência na Copa do Brasil:

Esse tema da violência é recorrente aqui no extracampo, mas quisera eu não ter que comentar tais notícias. Em um confronto entre torcedores do Vasco e do Corinthians, uma pessoa morreu, um ônibus foi incendiado e muita gente foi presa. O que não dá para entender é chamar de torcedor alguém que leva barras de ferro e arma uma emboscada para a torcida adversaria. Esses malucos precisam entender que os torcedores do outro time não são inimigos, são, na verdade, colegas que compartilham a mesma paixão, o futebol. Esse problema precisa ser resolvido com urgência, antes da Copa de 2014. Penso que construir os estádios será mais fácil do que educar esse povo.

Futebol brasileiro fora do Brasil:

Uma notícia me deixou animado, a possibilidade de Flamengo e Corinthians jogarem na Palestina. É o futebol lutando pela paz. Se o esporte pode realizar a façanha de parar uma guerra, como já aconteceu, eh nosso dever como cidadãos do mundo garantir que isso aconteça.

Em outra notícia, o Corinthians poderia jogar com o Palmeiras nos EUA, ou em outra cidade brasileira. A iniciativa é interessante, pois pode expandir o mercado futebolístico. Talvez não saia do papel, mas, pelo menos, já está sendo discutida. Essa expansão do mercado já é feita por clubes europeus, que realizam suas pré-temporadas na Ásia, América ou Oriente Médio.

E Bruno, goleiro do Flamengo, quer jogar na seleção portuguesa, sem nunca ter atuado no país, nem ter ouvido deles um interesse na sua convocação. Pelo visto, o lobby para levar o goleiro para a seleção brasileira não deu certo e estão tentando outra cartada. Patético.

Leão no Leão:

Uma boa contratação para o Sport, nem tanto pela capacidade do técnico, que é indiscutível, mas muito mais pelo parcelamento de uma dívida que se arrastava por 9 anos. A atitude da atual diretoria rubro-negra em tentar saldar as dívidas é corretissima. Quando tudo estiver pago, o clube terá um acréscimo de 20% em todas as receitas, pois esse é o percentual que a justiça trabalhista tira dos clubes hoje. Essa organização será essencial para um futuro melhor no futebol pernambucano. Que os outros se espelhem e se empenhem em pagar também as suas dívidas.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: