É mesmo proibida a transferência internacional de jogadores menores de idade.

A regra já está presente no art. 19 do Regulamento sobre o Status e a Transferência de Jogadores da FIFA. Mas, muitos tinham dúvidas quanto à sua aplicabilidade. Afinal, vemos muitos jovens saindo de países mais pobres para ricos clubes europeus antes mesmo de completarem 18 anos.

A regra possui exceções, como o caso da família mudar de país por motivos alheios à prática esportiva do menor. É aí onde muitos clubes trabalham, oferecendo emprego aos pais para levar os garotos antes que completem 14 anos. O jovem só pode ter vínculo com o clube a partir dos 14 anos, por isso, aos 13 anos de idade muitos são seduzidos pela possibilidade de jogar na Europa.

Por conta dessa “brecha”, muitos achavam que a regra não tinha efeito. Mas, recentemente, a Corte Arbitral do Esporte puniu um clube dinamarquês por registrar jogadores nigerianos menores de idade. A FIFA comemora a decisão e mantém os esforços para impedir a transferência de jogadores menores de 18 anos.

Pelo visto, a regra existe mesmo, e está funcionando. Ainda assim, há espaços onde os mais espertos conseguem trabalhar.

Fonte: FIFA

Anúncios

Uma resposta

  1. A FIFA tem muito bem definido essa questão….é terminatemente proibido ter um atleta de menor transferido por este motivo…”o de dar emprego aos Pais”….infelizmente no Brazil e em alguns outros Países celeiros de bons jogadores, não se aplica a mesma, por interesse financeiro e até por omissão das Confederações que costumam ficar caladas por motivos os mais diversos, como é o nosso caso (Brasil). E sobre estas brechas,….. existem por culpa desta omissão e pela ganancia dos Pais (porque o melhor lugar para o garoto aprender e se tornar um verdadeiro craque é o Brasil). Vejo muito preocupado esta situação, porque a própria CBF não faz nenhum movimento para exclarecer aos Clubes a legislação vigente e a apresentação do Agente Credenciado junto aos Clubes, aos jogadores e a própria imprensa especializada que fica navegando no desconhecimento…….., esta “profissão” foi criada justamente para orientar os Clubes e jogadores. Nenhum Clube Profissional de Futebol pode usar pessoas sem credencial (porque os Pais e um Advogado com OAB, podem ser seus procuradores, mesmo sem terem a experiencia necessarias), quando de suas contratações e /ou Tranferencias, (permanentes ou temporárias), fazendo isto, está passivel de ser suspensa ou até tirada do Futebol Profissional. Até quando a própria FIFA vai ficar olhando……. não sabemos, mas todos os casos que ali chegam para serem julgados…..os Clubes brasleiros normalmente saem perdendo, pela falta de conhecimento e de seguir o regularmento. Vejam o caso da famosa Advogada Gislaine que hoje goza de um prestigio e de uma fortuna invejavel…o que ela faz é somente seguir as normas FIFA (quando o caso é internacional) e seguir as Leis Trabalhistas (quando o caso é nacional). Pois os Clubes Brasileiros ainda não ‘”acordaram” para isto….o que vale como contrato de um jogador é seu vínculo empregaticio, ou seja…sua Carteira de Trabalho assinada e o cumprimento das obrigações em dia…(recolhimento do INSS, etc.) se estas Leis não forem seguidas não se pode tranferir pemanentemente ou temporariamente nenhum jogador, que invariavelmente ficam “livres”. Por esta razão é que os Clubes Europeus, que seguem as normas estão sempre fazendo grandes negócios as custas de nossos Clubes, dirigidos “amadoramente” e sem especialistas para orienta-los…… e até quanto a valores de tranferencias internacionais e comumente oferecem estas perolas (os jogadores diferenciaods) a preço de banana (aliás o próprio Berlusconi diz isso). Não existe Direitos Federativos ou o tal de Direitos Economicos…o que existe é o Direito Laboral entre o clube e o atleta empregado. Todo Clube deve fazer o primeiro contrato com a garotada, aos 16 anos e que deve ser de até 5 anos e tem a prioridade para assinar (FIFA) por mais 3 anos = 16 + 5 = 21 + 3 = 24 anos que é uma idade excelente para ser transferido (e a FIFA já estuda para autorizar este primeiro contrato, partindo de 14 anos) muito embora poderá ser travado pelas legislações vigentes Trabalhistas Brasileiras no que concerne a autorização de trabalho do menor que é de 16 anos, minima (ECADE). então é um problema para ser definido em alta esfera…. Congresso Nacional, para se mudar artigos da Constituição Brasileira

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: