Espanha: futebol às 15h para japonês ver.

Na Espanha vem se discutindo a criação de um novo horário para as partidas de futebol, às três da tarde. O objetivo é conquistar o mercado asiático, que transmitiria partidas ao vivo no horário nobre, nove da noite.

Os catalães, Barcelona e Espanyol, encabeçam o movimento. A idéia é ter ao menos uma partida da rodada nesse horário. A inspiração vem da Inglaterra, que já realiza partidas à uma da tarde para se encaixar no horário asiático.

A razão para isso é muito clara, o poder financeiro dos consumidores asiáticos. Há tempos que os clubes europeus tentam explorar esse mercado, seja com excursões, com jogos em horários ingratos ou até mesmo contratando atletas orientais. O Espanyol, por exemplo, acaba de assinar com o japonês Nakamura.

Além dessa ideia, já se discute na Europa o horário das partidas. Afinal, assim como ocorre no Brasil, o horário nobre da TV é muito tarde, 22h. Se é bom para a TV, em contrapartida, é ruin para o público.

O site Sport.es, que traz a notícia, afirma que apesar da renda obtida através dos sócios e torcedores estar perdendo espaço para os patrocínios e direitos de TV, são aqueles que sustentam o clube com a sua paixão. Apesar do horário ser bom para assistir futebol na TV, não há nada mais triste que um estádio vazio.

E você, torcedor, o que pensa das partidas às 22h na quarta-feira?

Eu digo logo, ultimamente tenho dormido no intervalo.

Anúncios

A sugestão de Aderval Barros: “tirar Sérgio China”.

Ontem, no programa do canal 14, o PRORROGAÇÃO, onde participamos todos os domingos eu, Zé do Carmo e Aderval Barros, surgiu uma grande discussão sobre o Sérgio China. Para Aderval, o Santa Cruz deveria tirocar o atual comandante por um treinador mais experiente.

Na opinião de Aderval, assim como de muitos dos 45 mil torcedores que estiveram no Arruda neste sábado, o empate em 2 a 2 com o Central foi culpa do comandante coral. Os maiores erros de Sérgio China teriam sido as saídas dos laterais para dar lugar a volantes, o que culminou com os gols dos caruaruenses, exatamente em bolas cruzadas pela lateral direita, que ficou bastante exposta.

Para Aderval, Sérgio China ainda é inexperiente e isso atrapalha o seu trabalho. O Implacável “indicou” os nomes de Givanildo Oliveira, Maurício Simões e Fito Neves. Essa foi a gota d’água. Fito Neves? O mesmo que esteve aqui no ano passado? Aí Aderval foi longe demais. Isso rendeu uma boa discussão no programa.

MINHA OPINIÃO: Tirar Sérgio China do comando seria um erro. Por mais que ele tenha se equivocado nas substituições, ele demonstrou ter qualidade e, principalmente, comando do time. Todos treinadores estão sujeitos a erro, todas as substituições acabam sendo criticadas por alguns, o torcedor nunca está satisfeito.

Sérgio China está à frente desse grupo desde os primeiros amistosos, que não foram lá essas coisas, mas tudo bem. Na Série D o time tem uma vitória fora de casa e um empate em casa. Uma campanha ainda boa, apesar da decepção dos milhares de tricolores presentes no estádio.

Por que eu digo que seria um erro tirar Sérgio China? Porque a competição é muito curta, a primeira fase tem apenas seis jogos, agora restam quatro. Outro treinador, se chegasse agora, teria pouco tempo para conhecer o grupo, armar a equipe e dar um “padrão de jogo” ao time. Sérgio já conhece os atletas, já conhece o grupo e já está “dando uma cara” ao time, tirá-lo agora seria jogar fora os meses de trabalho.

Por mais que se critique o Sérgio China, acredito que tirá-lo do cargo não é uma boa opção no momento. O Santa Cruz arriscou ao colocar um treinador inexperiente à frente da equipe, mas em uma competição tão curta não há tempo para mudar, ou corre-se o risco de pôr tudo a perder.

E você, tricolor, o que acha? Manteria Sérgio China ou buscaria logo um treinador mais experiente para o resto da competição? Deixe seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: