Lula quer PROIBIR a “venda” de jogadores no meio do ano.

O presidente Lula, famoso por dar pitacos também em assuntos futebolísticos, vem afirmando os maiores absurdos em nome da sua paixão pelo Corinthians. Sim, porque foi só o Timão perder jogadores para a Europa que o presidente resolveu soltar o verbo para a imprensa. Vejam o que disse Lula:

– Nós estamos vendo os nossos jovens saírem daqui com 17 anos de idade e voltarem com 32 para jogarem no Brasil, ou seja, no auge da carreira eles estão jogando no exterior. Do ponto de vista da realização individual, profissional, é correto. A meninada precisa ganhar dinheiro mesmo, a profissão é muito curta. Mas o que nós não podemos é que, além de a gente perder os nossos craques, no meio do campeonato abre a janela dos países europeus e os times que estão disputando vendam seus jogadores. O Cruzeiro perdeu o Ramires no auge da disputa da Libertadores. O Corinthians foi campeão paulista invicto, campeão da Copa do Brasil, está pensando na Libertadores… (Mas) desmonta o time e perde quatro jogadores em um final de semana”.

Até aí, tudo bem, mas a conclusão do presidente:

“Ou tem uma lei proibindo a venda de jogadores no meio do campeonato, ou você muda o calendário brasileiro para que (ele) seja compatível com a abertura de janelas do mercado externo. Alguma coisa nós vamos fazer”.

Primeiro, Lula se esquece que jogadores de futebol não são coisas, não podem ser vendidos ou comprados, são trabalhadores que se transferem por livre e espontânea vontade. Lula rasga a Constituição ao querer proibir a saída dos atletas do Brasil, restringindo a liberdade de trabalho e de locomoção. Essa lei seria, inevitavelmente, inconstitucional.

Além dessa lei inconstitucional, querer que o governo interfira nas normas desportivas é atentar contra tudo o que a FIFA defende, que é a não ingerência dos poderes públicos no esporte. Isso poderia, inclusive, resultar em punições à CBF. Se precisamos adequar o calendário ou mudar os períodos de transferência, cabe à CBF tomar tal atitude. Lembrando que a Constituição Federal também prevê às entidades desportivas autonomia de organização e funcionamento.

O problema do nosso futebol não é falta de lei ou mecanismos para proteger os clubes, esse mecanismo já existe, é a cláusula penal. Os jogadores querem sair, querem jogar nos melhores clubes europeus e os nossos clubes querem que eles saiam, pois precisam dessa verba vinda da cláusula penal. Só quem acha ruim são os torcedores, infelizmente.

O Brasil só estará protegido contra os assédios dos clubes europeus quando a nossa moeda for compatível com o euro e quando os nossos clubes tiverem uma saúde financeira onde não necessitem mais da transferência para pagar dívidas.

Obs.: Peço desculpas ao Lula pelas duras palavras, reconheço que fui um pouco radical. Mas, entendam melhor o que eu quiz dizer lendo o post Palmeiras veta a saída de jogadores.

Sigam o extracampo no twitter.

Anúncios

8 Respostas

  1. Besteira por besteira, você falou muito mais por estar por dentro do assunto, vem falar de política cambial. Realmente é só o Real equiparar-se ao Euro que tudo se resolve ne.

    Talvez quando Serra ganhar as eleições, ele privatize os Clubes tb.

    A Lei Pelé modificou muita coisa, principalmente legalmente e a FIFA falou alguma coisa ??

    Acho que o Presidente precisa defender os Clubes nacionais e foi o que ele fez. Quem costuma ter pensamento neoliberal e defender a venda do nosso País para os de fora é gente da sua laia.

    Outra coisa, onde o Lula se refere aos jogadores como “Coisa”? Talvez a fala simples e direta dele tenha confundido você. Acho que é a falta dos discursos em francês de FHC.

    No mais, sua matéria vai para as aulas de jornalismo de “Como manipular uma notícia”.

  2. Caro Luiz Henrique,

    Primeiro, não sou jornalista, sou jurista, estou analisando a questão à luz da nossa Constituição, que é maior do que qualquer presidente. Lula se refere aos atletas como “coisa” quando fala em VENDER. Atleta não se vende, apenas se transfere. Não defendo a venda do nosso país, nem tenho qualquer inclinação política. Minha análise, goste você ou não, é jurídica. Como assim “privatizar os clubes”? Quer dizer que eles não são instituições privadas? Ora, são sim, assim como qualquer empresa. Você falou em Lei Pelé e como a FIFA não falou nada. Mas, você sabe do que está falando? Você conhece a origem dessa lei? Já ouviu falar no Acórdão Bosman ou nas alterações que ocorreram no mundo do futebol bem antes da Lei Pelé?

    Meu caro, não estou aqui para fazer campanha política, não estou aqui para manipular notícia, estou aqui para comentar algo sobre o qual tenho conhecimento técnico. Até concordo que temos que fazer algo pelo nosso futebol, mas a situação é muito mais complicada do que se imagina. Não, não é só equiparar o Real ao Euro, há muito mais em jogo. Para você ter uma ideia, a FIFA é um órgão com mais filiados que a própria ONU, e ela rejeita qualquer interferência política no esporte. Além disso, a nossa Constituição prevê AUTONOMIA de organização e funcionamento às entidades de prática e de administração do desporto. Sabe o que isso quer dizer?

    O Lula não pode sair falando qualquer coisa para a imprensa, passando por cima do bom senso, do Direito e , principalmente, da Cosntituição. Nosso presidente, mais do que ninguém, deveria conhecer a Constituição Federal de 1988.

    Pense nisso.

    Saudações,
    Fernando Tasso

  3. Caro Fernando,
    Você distorceu sim a notícia e completamente.
    Quantas vezes você escutou nos programas jornalísticos ou esportivos a notícia…”o jogador fulano de tal foi vendido para tal clube”, inúmeras, talvez todos os dias escutamos isto, porém foi o presidente Lula falar para vocês que não tem o que fazer a não ser criticar tudo e mais um pouco cair de pau.
    Simplesmente o presidente disse que já que não tem lei que proiba a transferência (venda) de jogadores no meio do cmapeonato, que se tome uma atitude para igualar os calendários esportivos da américa do sul ao da Europa, visto que os jogadores seriam “vendidos” ao final do campeonato, aí a competência de cada clube amarrar os contratos para que o valor penal seja pago independente da época do ano que ele será transferido, basta ter um contrato assinado.
    Tão fácil de entender, mas parece ser mais fácial procurar pelo em ovo ou calcanhar de abelha.
    Creio que seja bem mais fácil olhar as declarações dos outros com imparcialidade, que estar criticando em vão.
    Abraço, de quem não é petista mas detesta perseguição.

  4. Francisco,

    O Lula acaba buscando isso quando se põe a falar sem analisar a questão com calma. Sim, há muitos jornalistas que usam o termo “vender”. Mas, Lula não é jornalista, é o nosso presidente. E pior, é um presidente com origem sindical, que conhece bem os direitos dos trabalhadores, principalmente aqueles garantidos pela Constituição. Olha, eu até admito que uma solução possa ser a adequação do nosso calendário ao europeu, mas isso não pode ser feito por lei, deve ser iniciativa da CBF. Entendo que o Lula queira ajudar, acho isso ótimo, mas é preciso saber como fazer. Quando ele diz: “proibir a venda de jogadores no meio do ano” está falando absurdos que não poderiam sair de um presidente.

    Eu até concordo com o Lula, alguma coisa precisa ser feita, mas não “nas coxas”, não passando por cima da Constituição. Tudo isso precisa ser bem pensado. Não estou perseguindo o Lula, até já critiquei outros políticos que se põe a falar besteira sobre coisas que não entendem. Não quero nem saber qual é o partido, o que me revolta é falar à tôa, sem pensar, sem analisar.

    Quando um jornalista qualquer se põe a falar besteira a consequência é uma, quando o Presidente da República fala alguma coisa, a consequência é outra. Por isso mesmo as críticas são mais severas.

    Posso ter exagerado com o Lula, ter sido muito ríspido nas minhas declarações. Se ele vier falar comigo eu peço desculpas, depois explico a ele a quantidade de absurdos que ele falou.

    Francisco, obrigado pelo seu comentário, o debate é essencial para a democracia, nunca me furtarei a ele.

    Abraço,
    Fernando Tasso

  5. O Lula resolveu falar isso porque tá vendo que o seu Corinthians está sentindo muito a falta dos jogadores que perdeu com a janela de transferência e vai ser difícil conquistar o Campeonato Brasileiro.

  6. O que o Fernando falou não tem o que mexer. Talvez, não daria tanta ênfase à crítica ao Presidente por ter tratado os atletas como qualquer dono de bodega faz. Estou para ver um dia em que uma pessoa que não tem formação educacional completa vai conseguir raciocinar como um ser humano deveria fazer.

    E o que Lula falou foi só para agradar o povão, como tantas coisas que ele insiste em falar, por mais besteira que sejam.

    Não tem como impedir que o atleta se transfira no meio do ano, por meio de uma legislação. Qualquer lei nesse sentido será inconstitucional.

    O meio mais viável que se tem para conseguir impedir isso é uma utopia, chama-se: gestão profissional desportiva segura. Profissionais capacitados e remunerados atuando dentro dos clubes. Exemplo disso, são as campanhas de marketing invejáveis que vêm sendo desenvolvidas no sul do País (vide Internacional e Grêmio).

    Garanto a qualquer um de vocês que se um dia os nossos clubes passarem aos seus torcedores a certeza de que o dinheiro que entra pelas bilheterias ou através dos sócios pagantes de mensalidades são bem aplicados, todos irão honrar cada vez mais de maneira regular com os compromissos, passando a imagem de verdadeiros amantes fiéis de seus clubes.

  7. Luiz,
    Eu já tinha visto a matéria e acabo de publicar meus comentários. De qualquer forma, obrigado pela indicação.

    Tasso.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: