Palmeiras veta a saída de jogadores.

Excelente notícia. O Palmeiras se reuniu com os investidores da Traffic e decidiu que não irá aceitar propostas pelos jogadores.

Vejam que a lei para impedir a saída de jogadores já existe. Não é preciso, então, proibir a “venda” de jogadores.

A lei 9.615/98, Lei Pelé, prevê que o contrato do atleta deve ter uma multa de até 100 vezes a remuneração anual. Então, quando um atleta deseja se transferir, o clube pode exigir o pagamento dessa multa (a cláusula penal).

Para manter um atleta no clube, o que é preciso? O que o Palmeiras fez, aumentar o salário do jogador, elevando assim a multa e convencendo-o a ficar. Porque ele é um trabalhador, pagando a multa ele tem o direito de sair.

O Palmeiras conseguiu isso porque teve o apoio dos parceiros, mas a maioria dos clubes, como o próprio Corinthians, precisam da verba que vem dessas transferências. Então, a solução é uma boa administração e saúde financeira.

O que dificulta, muitas vezes, é a ação dos empresários, que buscam essa transferência para também lucrar uma parte. E os jogadores, com vontade de ganhar em euro, fazem de tudo para sair.

É simples assim.

Obs.: Peço desculpas pelas palavras duras contra o Presidente da República, a quem tenho muito respeito e admiração. Mas, agora ele deve estar morrendo de raiva, pois o Palmeiras conseguiu fazer algo que o Corinthians não foi capaz. Infelizmente, o presidente não vai poder fazer essa lei para ajudar o seu time.

Sigam o extracampo no twitter.

Anúncios

Adequação do calendário do futebol brasileiro ao europeu.

A adequação do calendário do futebol brasileiro ao europeu já é assunto em todas as rodas de discussão futebolísticas há um bom tempo. Até o presidente Lula, insatisfeito com as saídas dos jogadores no meio do Campeonato Brasileiro, disse que queria fazer uma lei proibindo a “venda” de jogadores no meio do ano, ou adequando o calendário ao europeu.

Bom, uma lei não poderia fazer isso, pois seria inconstitucional. Mas, há alguém que pode: a CBF. O presidente Ricardo Teixeira admitiu que vai sim adequar o calendário brasileiro ao europeu o mais rápido possível. O melhor de tudo é que o mandatário da CBF não vai fazê-lo com uma canetada, vai ouvir os interessados e discutir as propostas.

Isso é ótimo, é disso que precisamos, debate. As mudanças não podem ser impostas, nem por lei nem por canetada da CBF, devem ser discutidas e aprovadas por todos os interessados, a TV, os clubes, os atletas e as federações estaduais (será que vão ouvir os torcedores?). Agora é a hora de apresentar propostas e alterar para melhor o nosso futebol.

A principal exigência é haver uma abertura no meio do ano para que os clubes possam participar de competições internacionais e o Brasil possa, inclusive, receber clubes estrangeiros para competições de pré-temporada. Isso renderá boas receitas aos nossos clubes tão carentes, além de instituir um bom período de preparação, coisa que não existe no Brasil.

O Campeonato Brasileiro, então, deverá se iniciar no segundo semestre para encerrar no ano seguinte, com isso a janela de transferência principal será antes da competição e não durante. Isso é bom para o planejamento. Assim, adequaremos nosso campeonato ao calendário da FIFA, evitando que os clubes brasileiros fiquem desfalcados de jogadores que servem a Seleção.

Outra questão a ser discutida, e a hora é essa, quando se revê o calendário, é a diminuição dos estaduais e a volta dos regionais. Não parece que esse assunto esteja em pauta, mas é bom que se discuta agora, para que nosso calendário se solidifique e não precise ser alterado novamente.

Vamos ao debate.

Sigam o extracampo no twitter.

%d blogueiros gostam disto: