Transferência de atletas: uma receita fundamental para os clubes de futebol até na Europa.

Já disse aqui no extracampo.com, diversas vezes, que a negociação de atletas é uma das principais receitas dos clubes brasileiros. Na verdade, o que se ganha com Marketing, licenciamento de produtos, bilheterias, etc., não se compara à receita obtida com a transferência de um bom jogador para a o exterior. Mesmo clubes como Internacional e São Paulo, que têm um bom equilíbrio financeiro, precisam negociar atletas todos os anos para manter as finanças equilibradas. Mas isso não é só no Brasil.

O Manchester United, clube com uma das melhores médias de público no mundo, com uma marca forte e rentável, que gera receitas em todos os continentes, que recebe uma fortuna de patrocinadores e emissoras de TV, só não fechou o balanço da temporada 2008/2009 no vermelho porque teve a receita da transferência de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid.

O português rendeu cerca de 80 milhões de libras ao clube inglês, que anunciou um lucro de 48,2 milhões de libras. Ou seja, caso não tivesse negociado o jogador, o balanço das contas teria ficado negativo.

Vale lembrar que o clube gastou 41,9 milhões de libras para pagar dívidas, que no total chegam a 700 milhões de libras.

Fonte: Folha Online.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: