Contratar, não contratar, investir na base, afinal, qual é o melhor caminho para os clubes de futebol?

Para a torcida o que importa são as vitórias e os títulos, independente se os atletas são brasileiros, japoneses ou africanos, se vieram das categorias de base, do exterior ou de um clube rival.

Para atingir o objetivo de vencer as partidas e conquistar os campeonatos, os clubes traçam caminhos diversos e estratégias diferentes. Uma opção, e das mais usadas, é contratar grandes estrelas, atletas já consagrados, às vezes até veteranos. Outra saída é buscar jogadores em ascensão que vêm de clubes menores. Ainda há os que investem nas categorias de base e revelam os jogadores que irão compor a equipe principal.

Mas, afinal, qual é a melhor estratégia? Essa resposta eu vou ficar devendo.

Contratar atletas de renome é algo que custa caro, é estratégia de clube que tem grandes receitas e pode investir. Mesmo assim há clubes que gastam o que têm e o que não têm para contratar atletas consagrados, muitos já em fim de carreira, uma estratégia arriscada no lado financeiro, mas que parece ser a mais segura dentro de campo.

Contratar atletas mais baratos, vindos de clubes menores, mas que estejam se destacando e possam se tornar grandes jogadores é uma ótima estratégia. O risco é apostar errado e contratar jogadores que não rendem o esperado. A vantagem é descobrir talentos que chegam barato e podem sair por grandes fortunas. É um bom caminho, mas requer um bom quadro de olheiros e pessoas que indiquem atletas de qualidade.

Investir na base é essencial, mas nem semnpre garante bons jogadores ao plantel principal. Há clubes que valorizam os “pratas-da-casa” e têm planejamento para a inclusão das revelações no elenco principal. Mas, muitos clubes, apesar dos investimentos na base, não conseguem aproveitar esses jogadores e preferem uma das alternativas acima. Fato é que mesmo sem aproveitar os jovens no elenco principal, o investimento nas categorias de base pode gerar grandes receitas.

Fugindo do Brasil, podemos comparar dois clubes tradicionais da Espanha que têm posturas diferentes. O Real Madrid apesar de ter uma boa estrutura nas divisões de base e formar grandes atletas, não costuma aproveitá-los no time titular. O clube de Madri, como todos já sabem, é adepto da contratação de grandes jogadores, de vez em quando eles ainda apostam em desconhecidos, mas nem sempre dá certo. Já no Barcelona as categorias de base são essenciais e rendem diversos jogadores à equipe principal. O clube catalão tem planejamento, coloca os jovens gradativamente e têm a tradição de revelar grandes craques. Uma estratégia do Barça é buscar jovens talentos menores de 13 anos para treinar no clube e se tornarem estrelas.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: