Copa do Mundo 2014: só tem estádio mesmo.

Quando o Brasil foi anunciado como sede da Copa do Mundo de Futebol (FIFA) de 2014, duas correntes de pensamento surgiram: os que viam um desperdício de dinheiro e potencial desvio de verbas que nada de bom traria ao país; e os que tinham a esperança de ver melhorada não só a estrutura dos estádios, mas também a infra-estrutura das cidades, com um legado a ser deixado para a própria população.

Confesso que, apesar da desconfiança no poder público, da quase certeza de superfaturamento das obras e do desperdício de dinheiro, eu confiava que a Copa poderia trazer ao Brasil coisas boas, como investimento em transporte público, segurança e melhoria dos serviços e pontos turísticos da cidade. Pois é, enganei-me.

Hoje tenho certeza que a Copa no Brasil terá estádios grandiosos, modernos, bonitos e caros, mas é só. Não houve investimento em mobilidade urbana, segurança ou melhoria nos serviços, o Brasil continua igual e irá surpreender os turistas (de forma negativa).

O legado da Copa do Mundo, no final das contas, serão estádios modernos (alguns inúteis) e nada mais. Para o povo brasileiro fica a certeza de que o poder público gasta de forma errada, tem prioridades equivocadas e é incompetente por natureza.

Se você pensava que sua vida iria melhorar depois da copa, esqueça. Se você está pensando que o turismo e a geração de renda irá aumentar depois da Copa, repense. Hoje, tenho mais certeza de que o brasil, apesar de lindo, acolhedor e divertido, não é amigável aos turistas. Preços altos, falta de estrutura, falta de pessoas que falem inglês (no mínimo), violência, poluição, falta de informações, dificuldade de locomoção, além de todos os problemas que nós já conhecemos. Isso tudo ficará evidenciado na Copa do Mundo e o perigo é ficarmos “queimados” internacionalmente. Então, a grande oportunidade de mostrar ao mundo os belos pontos turísticos do Brasil será também a oportunidade de mostrar diversas razões para o turista não vir para o nosso país.

Uma pena, mas em um lugar onde a prioridade do governo é a “riqueza” e não a vida das pessoas, não se pode esperar algo diferente. Aqui a prioridade é criar impostos e não aplicar o dinheiro arrecadado, é construir prédios e não parques, estádios em vez de escolas, reduzir imposto de carros em vez de investir em metrô. Mas não se engane, os governantes são reflexo da própria sociedade.

O legado da Copa é esse: o Brasil será destruído pelos próprios brasileiros.

Anúncios

Uma resposta

  1. Concordo. E espero que estejamos mudando isso… #changebrazil #ogiganteacordou

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: