Atlético-PR: Sócios via internet.

O Atlético do Paraná tem um objetivo ousado: preencher todo estádio da Arena da Baixada com sócios até o fim do ano. E para isso o clube usa a internet como ferramenta. Depois de um “bug” que atrapalhou a adesão pela internet, o clube volta a investir nesta ferramenta. E o objetivo audacioso não é sonho, é meta mesmo.

Para se ter uma idéia da força desta campanha e do poder da internet, o clube, em seis meses, aumentou o quadro de associados de 3 mil para 18 mil. Se continuar com esse ritmo o clube deve mesmo atingir seu objetivo. Além de se associar, o torcedor pode comprar ingresso no site e ainda tem a possibilidade de escolher seu assento. A meta é preencher todo o estádio com sócios e ter, já em 2009, uma lista de espera.

Excelente iniciativa do Atlético, digna de ser copiada pelos clubes brasileiros, que até hoje ainda não despertaram para as maravilhas da internet. A compra de ingressos, o pagamento da mensalidade, associar-se e ainda acompanhar uma TV, tudo on-line, é muito interessante e capaz de gerar um bom crescimento aos clubes de futebol.

fonte: http://maquinadoesporte.uol.com.br/v2/noticias.asp?id=10357

Anúncios

Técnicos: experiência x ambição.

O troca-troca de técnicos começou, mas contratar um novo comandante para a equipe não é uma tarefa fácil. Após perder o técnico Roberto fernandes para o Atlético-PR, o Náutico foi ao mercado para encontrar um substituto à altura. Mas, a grande polêmica é quanto ao perfil, a experiência e o salário destes treinadores.

Podemos dividí-los em duas categorias, os mais experientes, com salários altos e reputação no país de um lado, e do outro lado os mais jovens, com salários mais baixos e muita ambição para crescer e se firmar na profissão. A grande pergunta é: qual seria o perfil ideal do novo técnico timbu?

Acredito que o melhor para o Náutico seja apostar em um técnico promissor, que tenha vontade de vencer e mostrar suas qualidades. Um técnico experiente pode acabar se tornando um “tiro no pé”, caso não tenha a vontade e a disposição necessária para vencer com um time com limitações técnicas e financeiras.

O Náutico costuma apostar em técnicos emergentes, foi assim com Muricy Ramalho e Roberto Fernandes, e agora com Leandro Machado, recém-contratado. Por ser uma aposta, pode ou não dar certo, mas há grandes chances que ele faça um bom trabalho, pois precisa mostrar competência agora, na série A, para ser um técnico vencedor no futuro.

Rádios terão que pagar ao Atlético-PR para transmitir seus jogos.

O Atlético do Paraná decidiu começar a cobrar das emissoras de rádio que desejam transmitir os jogos do time no Campeonato Brasileiro. A cobrança diz respeito a todas as partidas, como mandante ou visitante. O clube estabeleceu o preço de R$ 15 mil por partida, ou um pacote de R$ 456 mil por todos os 38 jogos. A cobrança tem base no direito de imagem do clube e é autorizada pela lei.

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) considerou esdrúxula, absurda e ilegal a decisão. A cobrança pela transmissão radiofônica é incomum. No Brasil as emissoras de rádio transmitem as partias de futebol livremente, sem a necessidade de pagamento dos direitos de imagem.

A maior polêmica é quanto aos jogos em que o CAP será visitante. Imaginem, Atlético e Sport na Ilha do Retiro, as rádios que transmitem para os torcedores pernambucanos teriam que pagar ao Atlético para poder transmitir o jogo do Sport. A mesma coisa com o Náutico nos Aflitos. A decisão do Atlético-PR é polêmica e deve ser discutida entre os órgãos representantes dos clubes e da imprensa para que se resolva o assunto.

A cobrança é legal, e até justa se considerarmos que as rádios ganham bastante com essas transmissões sem pagar nada aos partícipes do evento. Mas, a cobrança deve ser melhor discutida e planejada entre os clubes e as rádios, não pode ser um ato isolado. A polêmica existe, vamos esperar os desenrolar dos fatos para saber como ficará o futebol brasileiro no futuro.

%d blogueiros gostam disto: