Futebol em 3D ainda não é o que se espera.

O anúncio de que o clássico inglês Arsenal x Manchester United seria transmitido em 3D para alguns Pubs do Reino Unido mexeu com o mundo do futebol. Mas, para aqueles que tiveram o privilégio de assistir à partida com essa tecnologia, a transmissão ainda não é grande coisa. Na verdade, apenas em poucos momentos foi possível perceber o efeito 3D, que ainda deve ser aprimorado para se tornar algo comum e adequado ao futebol.

O sucesso do filme Avatar em 3D, que lotou salas de cinema por todo o mundo, deixou todos ansiosos para ver o jogo do campeonato inglês com essa tecnologia. Mas, claro, a partida não foi nada igual ao filme e para ter o mesmo efeito ainda será preciso muito estudo e aprimoramento da tecnologia. As TVs com tecnologia 3D já estão chegando ao mercado e é possível que algumas partidas da Copa do Mundo 2010 sejam transmitidas dessa forma. Mas, quem acompanhou a experiência inglesa admite que ainda não é hora de investir em aparelhos caros, vale mais à pena ir mesmo ao estádio.

A Copa do Mundo 2014, no Brasil, já pode ter resulatdos melhores. O Brasil quer investir na novidade e fazer transmissão de jogos para salas de cinema com a tecnologia 3D. Daqui para lá tem tempo suficiente para que a tecnologia seja aprimorada e melhore a qualidade. Claro que não será igual a estar presente no estádio, mas a experiência de ver o jogo pela tela da TV ou do cinema pode crescer bastante nos próximos anos.

Apesar das críticas, confesso que estou ansioso para ver um jogo em 3D, principalmente se for a final de Copa do Mundo.

Fonte: Globoesporte

Manchester United multa Anderson em R$239 mil.

Anderson faltou ao treino de domingo e viajou ao Brasil sem o consentimento do clube. Por isso, os Red Devils vão multar o atleta em 80 mil libras (R$ 239 mil), o equivalente a duas semanas de salários. Grêmio e Vasco já mostraram interesse em ter o jogador, que, diante desse fato, dificilmente permanecerá no clube inglês.

O brasileiro tem poucas chances de voltar a atuar sob o comando de Alex Fergusson. Segundo a imprensa inglesa, quando se erra com o Fergusson, é o fim. O atleta já havia feito um jogo ruin contra o Manchester City, pela Copa da Liga, e com a ausência do treino e a viagem sem consentimento, fica muito difícil a situação de Anderson no clube. O atleta disputou 89 partidas com a camisa do Manchester e marcou um gol apenas.

Eu já escrevi várias vezes sobre as multas aplicadas pelos clubes aos atletas. No Brasil, a constitucionalidade dessas multas é discutível. Mas, como a legislação aplicável é a inglesa, os problemas não são os mesmos. Ainda assim, é importante analisar o fato, independente da legalidade das multas. A aplicação de uma multa deve ser bem estudada. Sou contra, por exemplo, a aplicação de multa quando o atleta leva um cartão vermelho, pois isso é fato do jogo e não um caso de indisciplina. No caso de Anderson, porém, a multa é justa, pois o atleta foi indisciplinado, faltou o treino e viajou sem consultar o clube, ainda por cima, dizem que ele está negociando com clubes brasileiros, o que seria um bom motivo para a multa.

Se Anderson vai voltar ao Brasil eu não sei, e acredito que o atleta de 21 anos ainda teria muito espaço na Europa, só não tem mais no Manchester United.

Fonte: Globoesporte

Transferência de atletas: uma receita fundamental para os clubes de futebol até na Europa.

Já disse aqui no extracampo.com, diversas vezes, que a negociação de atletas é uma das principais receitas dos clubes brasileiros. Na verdade, o que se ganha com Marketing, licenciamento de produtos, bilheterias, etc., não se compara à receita obtida com a transferência de um bom jogador para a o exterior. Mesmo clubes como Internacional e São Paulo, que têm um bom equilíbrio financeiro, precisam negociar atletas todos os anos para manter as finanças equilibradas. Mas isso não é só no Brasil.

O Manchester United, clube com uma das melhores médias de público no mundo, com uma marca forte e rentável, que gera receitas em todos os continentes, que recebe uma fortuna de patrocinadores e emissoras de TV, só não fechou o balanço da temporada 2008/2009 no vermelho porque teve a receita da transferência de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid.

O português rendeu cerca de 80 milhões de libras ao clube inglês, que anunciou um lucro de 48,2 milhões de libras. Ou seja, caso não tivesse negociado o jogador, o balanço das contas teria ficado negativo.

Vale lembrar que o clube gastou 41,9 milhões de libras para pagar dívidas, que no total chegam a 700 milhões de libras.

Fonte: Folha Online.

Chelsea proibido de registrar novos jogadores.

chelsea escudoO Chelsea foi punido pela Câmara de resolução de Disputas da FIFA por ter aliciado o jovem jogador Gael Kakuta, do clube francês Lens, em 2007. O clube inglês convenceu o atleta a rescindir contrato e assinar com os londrinos.

Tanto o atleta quanto o clube violaram o art. 17 do Regulamento FIFA sobre o status e a transferência de jogadores. O atleta ifringiu o art. 17.3, pelo que ficará suspenso durante 4 meses. Já o Chelsea violou o art. 17.4, restando punido com a proibição de registrar novos jogadores por duas janelas de transferência consecutivas.

É bom ver que a regra vale para todos, inclusive os mais poderosos e os mais ricos.

O clube francês receberá 780 mil euros como indenização.

Diz o art. 17:

3. In addition to the obligation to pay compensation, sporting sanctions shall also be imposed on any player found to be in breach of contract during the protected period. This sanction shall be a four-month restriction on playing in official matches. (…)

4. In addition to the obligation to pay compensation, sporting sanctions shall be imposed on any club found to be in breach of contract or found to be inducing a breach of contract during the protected period. It shall be presumed, unless established to the contrary, that any club signing a professional who has terminated his contract without just cause has induced that professional to commit a breach. The club shall be banned from registering any new players, either nationally or internationally, for two registration periods.

Fonte: Terra

Para ver o regulamento da FIFA completo, clique aqui.

20 anos da tragédia de Hillsborough.

hillsborough-tragedyNa quarta-feira, 15 de abril, o Liverpool fez uma homenagem aos torcedores mortos na tragédia que mudou a história do futebol inglês. Os torcedores lembraram as 96 vítimas, na maioria torcedores do Liverpool, fazendo dois minutos de silêncio exatamente às 15:06, hora em que o árbitro decidiu parar a partida, 20 anos atrás.

A partida contra o Nottingham Forest, pela semifinal da Copa da Inglaterra no estádio de Hillsborough, de propriedade do Sheffield Wednesday, ficou marcada por uma tragédia causada pelo excesso de público e pela negligência da polícia e dos organizadores. 96 torcedores morreram esmagados.

hillsborough_tragedyEssa tragédia mudou a história do futebol inglês, foi o “ponto da virada” contra o descaso, o mal tratamento aos torcedores, o despreparo da polícia e, claro, os hooligans. Mas, não foram os baderneiros que causarm o incidente, foi o simples excesso de público diante de um forte alambrado no estádio, uma questão de estrutura e organização.

Lembrar esse caso nos remete imediatamente à atual situação dos nossos estádios aqui no Brasil. Ainda convivemos com o descaso, o despreparo da polícia e o mal tratamento aos torcedores, além de uma péssima infra-estrutura nas praças esportivas.

Felizmente, uma tragédia de tamanha proporção nunca aconteceu por aqui. Mas, não podemos esperar a morte de uma centena de pessoas para começar a mudar a nossa realidade. A Copa do Mundo vem aí e precisamos nos preparar. Sempre defendi a retirada dos alambrados e a aplicação de sanção a clubes e torcedores invasores. O torcedor deve ser tratado como consumidor e não como gado.

Que fique a lição britânica.

Fonte: ESPN

Carteirinha de torcedor (mais sobre o mesmo)

Acabo de ler no Blog do Juca Kfouri um texto de Oliver Seitz sobre a carteirinha de torcedor. O pesquisador da Universidade de Liverpool lembra que a ideia foi suscitada na Inglaterra após graves incidentes causados pelos hooligans, mas, o projeto foi descartado.

Já escrevi em outros artigos que o Brasil precisa, na verdade, de estudos sobre a violência e não de propostas vazias baseadas em “achismos” de políticos. O Brasil precisa de um relatório, como na Inglaterra se fez o Relatório Taylor, que indicará os caminhos para solucionar o problema. Enquanto isso não for feito, o governo continuará com propostas sem efeito.

A OAB do Rio de Janeiro, por sinal, já criticou a iniciativa. No futuro, mais críticas irão surgir e é possível que o projeto seja, por fim, descartado. Vamos esperar para ver.

Enquanto isso, não deixe de ler o texto do colega Oliver Seitz.

AIG deixa o Manchester United.

man-untdQuem pensou que a crise mundial não afetaria o atual campeão do mundo, se enganou. Na verdade, acredito que todo mundo já estava desconfiado que esse seria o destino da parceria entre AIG e Manchester United. A empresa americana, para saldar a dívida que contraiu junto ao governo, precisou rever os gastos.

Esse era o maior patrocínio do futebol mundial, a empresa pagava cerca de 14 milhões de libras por ano. O clube, porém, não terá muitas dificuldades para conseguir um novo patrocinador para a camisa. As informações são de que já estaria em curso uma negociação com os indianos do Grupo Sahara.

Nesse contexoto econômico atual, parece ainda mais absurda a proposta de 100 milhões de euros do Manchester City pelo brasileiro Kaká. Com a crise atual, os clubes precisam rever os gastos, principalmente com relação a este super-inflacionado mercado de transferências.

%d blogueiros gostam disto: